Categoria: Padaria

Categoria onde reunimos as receitas para preparação da nossa oferta para Padaria

Arepas de Queijo

Por Carla Rocha

As Arepas são típicas da Venezuela, que foi onde o Francisco cresceu dos 3 aos 18 anos. Tal como outros pratos que faço, as Arepas tornaram-se presentes na nossa alimentação. Estas são Arepas de Queijo, que levam queijo na massa e no recheio. São bem fáceis e rápidas de fazer, uma vez que estes ‘pãezinhos’ não precisam de levedar. A única dificuldade poderá passar por encontrar a farinha de milho cozido, sendo que nos hipermercados como o Jumbo ou Continente, costumam ter sempre disponível da marca original a PAN. Na Mercadona, também têm de marca própria. Sendo as Arepas exclusivamente de milho, são sem glúten, sendo uma boa opção para doentes celíacos. Estas que aqui vos apresento, conforme já escrevi acima, têm queijo na massa, são bem saborosas. Pode usar qualquer tipo de queijo que goste, tendo em atenção, que quanto mais forte for o queijo, mais forte será o sabor. Um ponto a ter em consideração é usar um queijo que derreta bem como mozarela, flamengo, edam, emmenthal, etc. pois só assim iremos ter umas Arepas de Queijo, daquelas que criam fios de queijo derretido. Termino dizendo que aqui em casa se comem arepas em qualquer refeição, seja como entrada, como prato principal, acompanhadas por exemplo de uma salada, ou até como lanche. O que importa é haver e comer, diz o Francisco. Os vídeo de como as fiz, podem vê-lo no destaque próprio que criei no nosso instagram @cozinhaalacarte.Espero que gostem da sugestão!

Smoothie de Mirtilos e Framboesas

Por Carla Rocha

Hoje ao pequeno almoço saiu mais um smoothie de fruta, bem fresco. Usei a fruta toda congelada, mas pode usar apenas a banana e as restantes frescas, se tiver. Também se não gostar ou não puder beber leite, use qualquer outro tipo de bebida vegetal, ou até água.

Broa de Milho, Trigo e Centeio

Por Carla Rocha

Esta Broa foi feita juntamente com a Broa com Chouriço, a massa é a mesma, apenas não lhe adicionei chouriço. Fica bem saborosa e com uma crosta super crocante. A minha mãe prefere-a assim, sem o chouriço, diz que lhe sabe mais a broa, já a Joana, sem chouriço não lhe pega. Já eu gosto de qualquer forma. Há que agradar a todos!

Broa com Chouriço

Por Carla Rocha

Hoje foi dia de broa cá em casa. Fiz broa com e sem chouriço. Esta broa é feita com três farinha distintas: milho amarelo, centeio integral e trigo e tendo milho, tem a particularidade de se ‘cozer’ a farinha no início do processo com água a ferver. É uma etapa que tem que ser feita com calma e que até custa um pouco, pela temperatura que temos que suportar, mas nada impossível, faço-o sem problema, só custa mesmo no início. Aqui para a broa de chouriço tive um percalço, pois pensei que tivesse mais chouriço e tenha apenas meio, pelo que usei também chourição. Na receita coloquei a quantidade de chouriço necessária. Também para fazer a broa que vêm na foto, amassei massa com 1 kg de farinhas, tendo dividido a massa ao meio na hora de colocar o chouriço. As quantidades que aqui estão na receita, são para uma broa como a da foto.

Bolo Salgado com Sabor Italiano

Por Carla Rocha

Aqui em casa, esta é uma receita obrigatória nos picnics de família. É fácil, rápida e prática de comer. Uma receita bem versátil de bolo salgado, onde se podem variar os sabores e a forma como se coze. A base da receita são a farinha e os líquidos (ovos, leite e azeite), sendo depois possível adicionar ingredientes, conforme o que se gosta, ou até conforme o que se tem em casa. Milho, queijo de várias qualidades, enchidos, legumes, carnes fumadas, etc., o que mais gostar. Pode também ser enriquecido com ervas aromáticas, como por exemplo, orégãos, manjericão ou tomilho. Aqui foi feito em forma de bolo inglês, mas fica igualmente bem feito em formas de queques ou mesmo num tabuleiro para depois cortar em quadrados.

Folar de Valpaços

Por Carla Rocha

Desde que vim morar para o norte do país que adotei este folar na Páscoa, não fosse eu fã assumida de enchidos 😉. A massa é uma massa fofa, que cresce bastante, alternada com camadas de carnes e enchidos fumados, onde o presunto e o salpicão assumem o papel principal. Quando o faço em Olhão, coloco fatias finas de toucinho gordo. Aqui na Maia como não o tenho, coloquei barriga fumada, que por sinal adoro. As quantidades que aqui indico dão para dois folares médios, ou um grande, sendo que o grande, aconselho a fazer como o tradicional, isto é, abrir a massa, espalhar as carnes por cima e depois enrolar. Vai depois a cozer num tabuleiro de barro ou pirex, cujas paredes não devem ter mais de 8cm de altura, para que o folar cresça e abra um pouco para os lados. Eu optei por fazer os meus em separado, isto é, 500g de farinha e respetivos ingredientes, de cada vez, para que pudesse amassar tudo na batedeira.

Pão de Açafrão sem Amassar

Por Carla Rocha

Este foi um dos pães que fiz para o direto do instagram com a Ana Guiomar na @maejanaotenhosopa. A receita base é bastante versátil e pode ser ajustada a diferentes tipos de farinha, recheio ou até sabor como foi o caso neste pão de açafrão. A receita foi feita pela metade, obtendo desta forma, um pão mais pequeno. Fiz exatamente o mesmo com o pão de Beterraba que também encontram aqui nesta nossa cozinha. O pão de açafrão é muito fácil de fazer, pois sendo o açafrão/curcuma uma especiaria em pó, foi apenas necessário adicioná-lo à farinha. A cor final do pão, é de um amarelo berrantes e os sabor bem marcante. ‘Bora’ lá meter mão (colher de pau) na massa?

Pão de Beterraba sem Amassar

Por Carla Rocha

Muitos têm sido os pães que têm saído das nossas cozinhas. Este foi feito para mostrar no direto do instagram com a Ana Guiomar na @maejanaotenhosopa. A receita base é bastante versátil e pode ser ajustada a diferentes tipos de farinha, recheio ou até sabor como foi o caso neste pão de beterraba. Sendo que é um pão que aqui em casa não reúne o consenso de todos, optei por fazer a receita pela metade, obtendo desta forma, um pão mais pequeno. Fiz exatamente o mesmo com o pão de Açafrão que também encontram aqui nesta nossa cozinha. Neste caso da beterraba, o que aconselho e que eu não fiz, pois comprei a beterraba já cozida, é que se a cozerem em casa, usem a água da cozedura, já fria, para fazer o pão, pois vai ajudar a intensificar a cor. Não se iludam pela cor da crosta, o miolo ficou castanho. ‘Bora’ lá meter mão (colher de pau) na massa?

Bagels de Dois Ingredientes

Por Carla Rocha

Muitas são as receitas que a mistura de iogurte e farinha permitem fazer… sendo estas bagels uma delas. O nome da receita é Bagels com Dois Ingredientes, uma vez os outros dois, sal e sementes, são opcionais. Embora a receita não siga os passos das receitas tradicionais de bagels, o resultado final cumpre o seu propósito. Umas bagels fofas e bem saborosas. O melhor é que em pouco tempo consegue servi-las, pois não há tempo de repouso, nem cozedura em água. Nos ingredientes, coloquei as quantidades que usei, contudo se achar que a massa está muito mole e pegar, pode usar farinha, até aos 3 copos. Basta fazer a massa, moldar e cozer as bagels. Não acredita? Veja a receita e atreva-se a experimentar!

Moletinhos de S. Vicente (Arrufadinhas)

Por Carla Rocha

Quando vi esta receita no facebook da ‘7 Gramas de Ternura’, decidi imediatamente que tinha que a fazer! Não sei se foi o fantástico aspeto, mas comi com os olhos estes Moletinhos de S. Vicente, muito parecidos, senão quase iguais a arrufadinhas. Não são nada dificéis de fazer, apenas consomem tempo, pois têm diferentes fases de levedação. O indicado é começar a fazer a massa na véspera do dia em que as quiser consumir. Nos tempos totais que coloquei, não estão referenciados os tempos de pausa para levedação, esses ficam mencionados na descrição da receita.