Categoria: Petiscos

Categoria onde reunimos as receitas para preparação de fantásticos Petiscos

Caracóis Cozidos

Por Carla Rocha

Para mim, estes Caracóis Cozidos, são o meu petisco preferido de verão. Sei que é algo que não reúne consenso, mas eu cresci a comer caracóis, pelo que faz parte da minha cultura. A receita que aqui lhe deixo, é como os fazemos em casa dos meus pais, uma receita simples, sem sabores artificiais. Não é uma receita difícil de fazer, contudo é uma receita que requer tempo, pois os caracóis têm de ser muito bem lavados e escolhidos, para ver se vão todos em condições para a panela. Para eu fazer estes caracóis, eles viajaram de Olhão para a Maia, pois nunca me atrevi a comprar caracóis cá em cima, nem sei se os há. Pelo menos sei que não há onde os comer fora de casa, ao contrário de em Olhão, que os podemos comer em vários sítios! Eu fiz, comi e deliciei-me, num dia de sol, nesta primavera que nos tem dado demasiados dias de chuva.

Percebes ou Perceves

Por Carla Rocha

Por aqui chamamos Percebes, mas podem ser chamados de Perceves ou também já ouvi chamar Percebas. O nome pouco interessa, o importante é mesmo, que este marisco é delicioso e com um marcante sabor a mar. Confesso que em Olhão, pouco comia Percebes era mais bivalves, pois não é um marisco que se apanhe na zona, contudo desde que vim para o norte do país, que tenho acesso mais fácil e muito mais barato, pelo que de vez em quando, lá vamos nós até Angeiras à procura dos pescadores para comprar Percebes. Normalmente quando vêm cá os meus pais ou irmã, pois também eles são apreciadores! Só temos que ter cuidado ao comer, para não os espirrar ao abrir e salpicar o teto todo :). A receita que aqui apresente é muito simples e com apenas 3 ingredientes, pois assim mantém-se o sabor natural do percebe!

Molho de Queijo

Por Carla Rocha

Esta é daquelas receitas que guardo para os dias em que nos apetece algo mais pecaminoso, um delicioso Molho de Queijo para acompanhar batatas fritas ou nachos. Desta vez, comemos género Steal n Sheak, com batatas fritas e bacon crocante. A receita é fácil e muito rápida de fazer, pelo que tendo os ingredientes e casa, rapidamente consegue servir este molho de queijo.

Bao

Por Carla Rocha

Já se sabe que gosto de viajar em casa por sabores de outras culturas. Desta vez fizemos uma mistura entre Taiwan e EUA. Bao recheado com Pulled Pork. A primeira vez que os comi foi num restaurante asiático aqui no Porto, o Boa Bao, fiquei logo fã! O Bao é um pãozinho cozido a vapor, conhecido pelo seu aspeto branco e suave. Pode ser usado para rechear com diferentes recheios, sendo o mais conhecido, o recheado com barriga de porco. Neste que aqui lhe apresento, usei Pulled Pork que fiz na slow cooker durante 8 horas, cuja receita já está aqui site e tem sido um sucesso. A maior dificuldade para fazer os Bao’s, poderá surgir na fase de os cozer a vapor, sendo a forma tradicional, cozinhá-los numa vaporeira de Bambu. Como aqui em casa não existe, usei a Varoma da Bimby para o efeito, tendo obtido um excelente resultado final. Podia inclusive ter feito na Bimby a massa, mas por opção minha, as massas de pão, faço-as sempre na batedeira, contudo deixo-lhe também a versão da massa feita na bimby. Agora com tudo disponível, só tem mesmo que os fazer e deliciar-se, tendo em atenção os tempos de pausa para levedação!

Chips de Kale

Por Carla Rocha

A primeira vez que vi estas Chips de Kale foi num episódio das Kardashians, em que elas as comiam como snack, o que me deixou logo bastante curiosa. Não sendo muito fácil de encontrar Kale, fui deixando andar, até que descobri que na Makro costumam ter. Foi lá que passei a comprar. Nos últimos tempos já tenho visto no Jumbo e até no Aldi à venda. Os Chips de Kale são fáceis de fazer e posso dizer, que aqui em casa todos somos fãs. Têm uma textura bem crocante e o tempero é feito de acordo com o que gostamos. É daqueles snacks que podemos comer sem culpa! O único senão é que não aguentam muito tempo depois de feitas, uma vez que não devem ser fechadas pois tendem a ficar moles. O melhor é mesmo fazer e comer durante o dia!

Arepas de Queijo

Por Carla Rocha

As Arepas são típicas da Venezuela, que foi onde o Francisco cresceu dos 3 aos 18 anos. Tal como outros pratos que faço, as Arepas tornaram-se presentes na nossa alimentação. Estas são Arepas de Queijo, que levam queijo na massa e no recheio. São bem fáceis e rápidas de fazer, uma vez que estes ‘pãezinhos’ não precisam de levedar. A única dificuldade poderá passar por encontrar a farinha de milho cozido, sendo que nos hipermercados como o Jumbo ou Continente, costumam ter sempre disponível da marca original a PAN. Na Mercadona, também têm de marca própria. Sendo as Arepas exclusivamente de milho, são sem glúten, sendo uma boa opção para doentes celíacos. Estas que aqui vos apresento, conforme já escrevi acima, têm queijo na massa, são bem saborosas. Pode usar qualquer tipo de queijo que goste, tendo em atenção, que quanto mais forte for o queijo, mais forte será o sabor. Um ponto a ter em consideração é usar um queijo que derreta bem como mozarela, flamengo, edam, emmenthal, etc. pois só assim iremos ter umas Arepas de Queijo, daquelas que criam fios de queijo derretido. Termino dizendo que aqui em casa se comem arepas em qualquer refeição, seja como entrada, como prato principal, acompanhadas por exemplo de uma salada, ou até como lanche. O que importa é haver e comer, diz o Francisco. Os vídeo de como as fiz, podem vê-lo no destaque próprio que criei no nosso instagram @cozinhaalacarte.Espero que gostem da sugestão!

Omelete na Tortilha

Por Carla Rocha

Esta Omelete na Tortilha saiu num almoço rápido de dia de semana. A Joana não estava em casa, pelo que pude dar asas à minha criatividade e ir ao sabor do que me apetecia. Cogumelos e espinafres são uma das minhas combinações preferidas, pelo que saiu uma omelete de cogumelos e espinafres que foi depois enrolada em tortilhas, dando-lhe um aspeto de torta. O vídeo de como a fiz, podem vê-lo no instagram.

Tapa de Figos com Presunto e Queijo Creme

Por Carla Rocha

Há combinações que resultam e esta Tapa de Figos com Presunto e Queijo Creme é uma vencedora. Muito fácil e rápida de preparar, serve tanto para uma refeição leve, como de uma excelente entrada. Para atingir a excelência há pequenos detalhes que fazem a diferença. O pão deve ser regado com um fio de azeite e torrado nos dois lados, sobre um grelhador de fogão e depois arrefecido. Assim terá um pão crocante, que depois irá barrar com o seu queijo de eleição. Pode ser de cabra, camembert, brie, ou como eu usei, um queijo creme. O presunto e dos figos, devem ser de boa qualidade, sendo que os figos devem estar firmes. Para terminar, o creme de vinagre balsâmico dá-lhe aquele travo agridoce que deixa qualquer a ansiar pela próxima sentada. É isto mesmo, foi como eu fiquei!

Biqueirões Albardados

Por Carla Rocha

Sabem aqueles pratos que sempre existiram em casa dos pais e que na altura não gostávamos, mas que quando fomos viver sozinhos e para longe deixámos de ter acesso, pelo que se tornaram alvo de desejo absurdo? pois bem, estes Biqueirões Albardados, estão na minha lista de pratos de desejo! É um prato típico de Olhão e a maior dificuldade está no arranjar do peixe e foi isto que aprendi desta vez. A minha mãe esteve a ensinar-me a tirar a espinha ao dito para que a partir de agora, os possa preparar em casa. Estes Biqueirões Albardados, são uns simples filetes, temperados com sal, limão, alho e pimenta branca que depois de estarem pelo menos 24 horas a marinar, são passados pela farinha e pelo ovo. Aqui em casa, não o fazemos, mas pode-se juntar ao ovo, cebola e salsa picada. Estes Biqueirões Albardados tanto servem como componente de um prato principal, acompanhado por um arroz malandro de tomate, como de entrada ou petisco. Aqui em casa gostamos de os comer frios, no pão!

Camarões Grelhados e Flamejados

Por Carla Rocha

Para quem gosta de camarões e quer fugir aos típicos camarões cozidos, esta é uma excelente receita de Camarões Grelhados e Flamejados, que é feita no forno. Depois de grelhados, são flamejados com whisky, o que lhes confere um sabor divinal! Os camarões a usar, devem ser grandes, de calibre 20/30. O calibre define o número de peças por quilo de produto, assim um camarão de calibre 20/30 quer dizer que por cada quilo desse camarão, virão entre 20 a 30 unidades. Reserve uma fatias de pão para sim, pois não sei se vai conseguir resistir ao magnifico molho que se forma!