Tag: #compota

Receitas com e de compotas

Lemon Curd

Por Carla Rocha

Esta é uma receita prática e simples de fazer Lemon Curd. O resultado final é um frasco pequeno de Curd, contudo, pode facilmente fazer mais quantidade, adaptando os ingredientes. O processo, serve também de base para outros curds, tais como o curd de maracujá. Eu pessoalmente, gosto de doces com limão e uso o Lemon Curd para vários fins, tais como, comer com panquecas, rechear bolos, comer em iogurtes. Depois de feito, o Curd deve ser guardado em frascos esterilizados e armazenados no frigorifico durante 1 mês. No nosso instagram, encontra um destaque com os vídeos do processo de como fizemos este Lemon Curd.

Doce de Figo e Vinho do Porto

Por Carla Rocha

Este Doce de Figo e Vinho do Porto, é um excelente acompanhamento para queijos e salgados, contudo é igualmente bom para comer simples em tostas ou iogurtes. Por os figos, por si só, serem uma fruta tendencialmente doce, reduzi a quantidade de açúcar em relação ao seu peso e, até porque o açúcar que usei, foi açúcar amarelo, também ele com um travo mais forte. Como vinho do Porto, usei um vinho também ele doce, um Croft Platinum Reserva, um dos meus preferidos e, que pela sua cor e travo, dá sempre um sabor marcante. Em relação ao tipo de figos, este Doce de Figo e Vinho do Porto, foi feito com dois tipos, um verde, os pingo mel e outro escuros, também eles da região do Douro, mas que confesso que não sei o nome. Os vídeos do processo estão no nosso instagram @cozinhaalacarte.

Compota de Cebola Roxa com Vinho do Porto

Por Carla Rocha

À semelhança do Doce de Pimento, cuja receita já está aqui na nossa cozinha, a compota de cebola roxa é indicada para comer com salgados, queijo em especial. Eu adoro comê-la com queijo chèvre. A conjunção de sabores é algo do outro mundo, mas claro, que como em tudo, não irá agradar a todos, pois esta compota tem um travo agridoce.

Bolinhos Vesgos

Por Carla Rocha

Uma das recordações doces que tenho da minha infância, são uns bolinhos claros, açucarados, que tinham um olhinho vermelho em cima, que a minha avó Lana me comprava na mercearia do Sr. Marçal. Eram vendidos ao quilo e eu adorava-os. Nunca mais os vi à venda e ando há algum tempo a tentar encontrar a receita. Ainda não foi desta! Estes bolinhos são mais fofinhos, os outros eram duros. A receita que aqui apresento, é da La Dolce Rita e o resultado final são uns saborosos e macios bolos aos quais se pode juntar diversos sabores. Eu optei por fazer uns de Nutella Caseira e outros de Doce de Framboesa. Pode usar o doce que mais gostar!

Marmelada Tradicional

Por Carla Rocha

Esta receita, aqui como a apresentamos é a da marmelada tradicional, aquela que se faz no tacho, mexendo durante muito tempo até ganhar o ponto desejado para que depois de secar, tenha consistência para cortar em fatias. Na receita que fazemos, não descascamos os marmelos, apenas lhes tiramos o caroço, como tal, o resultado é uma marmelada mais avermelhada. Quanto às quantidades, apresentamos a base, isto é, a quantidade de açúcar em relação ao peso dos marmelos. Claro está, que fizemos muito mais quantidade, sendo que este ano de 2019, fizemos um total de 28,5Kg de marmelada!

Doce de Tomate II

Por Carla Rocha

Este doce de tomate difere do já existente aqui na nossa cozinha, pelo tipo de açúcar com que é feito, ao invés de açúcar branco, é feito com açúcar amarelo. O uso deste tipo de açúcar, uma vez que confere um sabor mais forte e doce, faz com que a quantidade de açúcar, em relação à quantidade do tomate, seja menor. Quanto ao sabor, posso dizer que adorei! Fica com um sabor mais encorpado, mais marcante. Na descrição da receita não vou colocar as quantidades exatas, uma vez que a receita é feita por proporções, isto é, pesa-se o tomate já arranjado e usa-se metade do peso do tomate, de açúcar amarelo. Obrigada Teresinha pelas dicas!

Doce Agridoce de Pimento

Por Carla Rocha

Comecei a fazer esta receita há alguns anos, já depois de ter vindo viver para o norte de país. É um doce diferente, apimentado e agridoce. Todos os anos compro os pimentos ao mesmo senhor, na feira da Maia, ao sábado. Os pimentos que utilizo, são pequenos, numa mistura de vermelhos e alguns vermelhos e verdes. Para dar um paladar mais apimentado, junto pimentos padrón, daqueles de nos fazem suar, mas claro que a quantidade de picante, fica ao gosto de cada um. Se não tiver pimentos padrón picantes, junte uma malagueta, ou se não gostar do travo picante, não junte nada. Este doce é ótimo para comer com queijo, folhados, salgados, ou até simplesmente no pão. Experimente!