Tag: #receitatradicional

Coelho com Chouriço e Cogumelos

Por Carla Rocha

Este Coelho com Chouriço e Cogumelos é a forma preferida de comer carne de coelho cá em casa. É muitas vezes feito sem qualquer preparação prévia, pois tempero-o diretamente no tacho e nunca desilude. A carne de coelho, é uma carne saudável e é um dos segredos da Dieta Mediterrânea, segundo o site https://carnedecoelhoosegredo.eu/. Visite-o e fique a saber mais sobre a campanha #EUAgriPromo, uma campanha promovida pela ASPOC – Associação Portuguesa de Cunicultura em parceria com a União Europeia. No site vai poder verificar os cortes de carne disponíveis e ter acesso a deliciosas receitas! Nesta receita de Coelho com Chouriço e Cogumelos estou a usar o corte de Meio Coelho Cortado, o que eu pessoalmente, mais gosto. O resultado é uma carne bem confecionada, com um molho bem apetitoso e rico que é ótimo para acompanhar com arroz branco ou batatinhas fritas. Experimente a receita, pois vai adorar!

Broinhas de Frutos Secos

Por Carla Rocha

Juntei-me à Teresa do HealtyBites para, em conjunto, trazermos até si o Pão por Deus, também conhecida em algumas zonas, por Dia do Bolinho. Uma antiga tradição portuguesa de algumas zonas do nosso país, cheia de significado. Conhece? Uma tradição onde as crianças, à semelhança do que acontece no Halloween, batiam de porta em porta, pedindo alimento. No Pão por Deus, iam munidas do seu saquinho de pano e apregoavam cânticos, enquanto batiam a cada porta. A nossa sugestão e, porque em muitas zonas não se usa esta tradição, é que faça bolinhos, como estas broinhas, para distribuir pelas crianças, em vez das guloseimas industrializadas. A receita destas broinhas, também conhecidas por Merendeiras, é da zona de Leiria e descobria aqui na rede há uns anos.
No tempo de preparação, não contabilizámos o tempo do pré fermento, pois vai depender da temperatura ambiente.

Lombinhos de Pescada com Broa

Por Carla Rocha

Estes Lombinhos de Pescada com Broa é daquelas receitas fáceis de preparar, que enchem o olho e reconfortam o estomago. Foi feita sem planeamento, pois passei no supermercado na vinda do escritório e trouxe lombinhos de pescada congelados e broa de milho! Vou explicar, tim tim por tim tim, como a fiz, para que a possa replicar aí em casa!

Folar de Olhão

Por Carla Rocha

O Folar de Olhão é o folar que me acompanha desde sempre! Cresci a ver a minha avó Juliana a fazer folares na Páscoa, pensando eu que era tão fácil, pois ela fazia tudo parecer tão fácil, amassava à mão folares para todos nós. Não querendo mentir, a minha avó fazia mais de 10 folares de cada vez, todos de tamanhos diferentes, cozidos em tachos de alumínio. Na hora de os cozer, lá íamos nós com os tachos na mala do carro, para os cozer nos fornos das fábricas do pão de Olhão. Uns anos íamos à Aliança, noutros aos ‘Mau-maus’. Dependia de quem ia ter os fornos ligados e disponibilidade para nos receber. Só depois de ‘crescida’ comecei a dar valor a tudo isto, ao que marca a minha história de vida. Coisas que eram tão tidas como minhas, que na altura não lhes dava a devida importância. Ontem fiz três folares. Amassei-os na batedeira, cozi-os no forno aqui de casa, tudo muito diferente, mas ajustado à realidade dos nossos dias e que espero que daqui a uns anos, a minha filha dê o devido valor. O Folar de Olhão, para quem não conhece, é um folar doce, feito em camadas, com uma mistura ainda mais doce pelo meio. Em 2019 eleito como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal. Existem diversas receitas, a que aqui hoje vos trago, é a receita como a minha avó o fazia. Quando à forma, continuo a fazer a forma tradicional, embora nos últimos anos, tenha visto que começaram a fazer o folar enrolado, são opções que respeito e até gosto, tanto que fiz um deles assim. Creio que na cozinha há sempre lugar para todos, sempre com respeito mútuo.