Método de Preparação: Fogão

Receitas cujo método de confecção é no fogão

Caracóis Cozidos

Por Carla Rocha

Para mim, estes Caracóis Cozidos, são o meu petisco preferido de verão. Sei que é algo que não reúne consenso, mas eu cresci a comer caracóis, pelo que faz parte da minha cultura. A receita que aqui lhe deixo, é como os fazemos em casa dos meus pais, uma receita simples, sem sabores artificiais. Não é uma receita difícil de fazer, contudo é uma receita que requer tempo, pois os caracóis têm de ser muito bem lavados e escolhidos, para ver se vão todos em condições para a panela. Para eu fazer estes caracóis, eles viajaram de Olhão para a Maia, pois nunca me atrevi a comprar caracóis cá em cima, nem sei se os há. Pelo menos sei que não há onde os comer fora de casa, ao contrário de em Olhão, que os podemos comer em vários sítios! Eu fiz, comi e deliciei-me, num dia de sol, nesta primavera que nos tem dado demasiados dias de chuva.

Frango com Cerveja

Por Carla Rocha

Esta é uma receita de Frango bem antiga, muito fácil, rápida e saborosa. Das mais simples que podemos fazer em casa. Existem diversas variações de receitas de Frango com Cerveja, umas sem natas, outras feitas no forno, com frango mesmo, ao invés de apenas peitos. O essencial é sempre o mesmo, Frango, Cerveja e Sopa de Cebola. De resto ajustamos a nosso gosto. Eu prefiro fazer com peitos e gosto de juntar natas e salsa, que é como lhe apresento a receita aqui. Espero que goste!

Lulinhas Fritas

Por Carla Rocha

Estas Lulinhas Fritas têm sabor a Olhão :), sabor a casa. São rápidas e fáceis de fazer, basta seguir as indicações da receita, que não tem como falhar. O truque está no descartar a água que as lulas largam no início da cozedura. Este truque tanto pode ser usado com estas lulinhas, como com lulas de maior tamanho, resulta sempre. Aqui em casa, gostamos de acompanhar as Lulinhas Fritas com Batata também frita, temperada com Alho em Pó e Sal e também com salada, hoje foi de Alface. Espero que goste da sugestão!

Percebes ou Perceves

Por Carla Rocha

Por aqui chamamos Percebes, mas podem ser chamados de Perceves ou também já ouvi chamar Percebas. O nome pouco interessa, o importante é mesmo, que este marisco é delicioso e com um marcante sabor a mar. Confesso que em Olhão, pouco comia Percebes era mais bivalves, pois não é um marisco que se apanhe na zona, contudo desde que vim para o norte do país, que tenho acesso mais fácil e muito mais barato, pelo que de vez em quando, lá vamos nós até Angeiras à procura dos pescadores para comprar Percebes. Normalmente quando vêm cá os meus pais ou irmã, pois também eles são apreciadores! Só temos que ter cuidado ao comer, para não os espirrar ao abrir e salpicar o teto todo :). A receita que aqui apresente é muito simples e com apenas 3 ingredientes, pois assim mantém-se o sabor natural do percebe!

Frango Cacciatore

Por Carla Rocha

Este Frango Cacciatore é uma receita típica de Itália, bem saborosa e com um molho onde molhar o pão é obrigatório! Aqui em casa é um sucesso sempre que o faço, não sobra pedaço para contar. A mistura de sabores é tal, que só quem provar consegue perceber o quão boa é esta receita!

Pudim Abade de Priscos

Por Carla Rocha

Uma receita do século XIX que ganha cada vez mais adeptos, este Pudim Abade de Priscos é sem dúvida um ex-libris da Doçaria Conventual Portuguesa. Um pudim que tem tanto de saboroso como de calórico, que não sendo para comer todas as semanas, é indispensável na mesa dos portugueses nas ocasiões mais especiais como a Páscoa ou o Natal. Não é uma receita fácil de fazer, uma vez que tem alguma técnica, contudo vou tentar desmistificar esta receita, tornando-a acessível a todos. No instagram deixei os vídeos de todo o processo, para que não perca cada detalhe! Agora só tem que decidir fazer e deliciar-se com este Pudim Abade de Priscos.

Amêndoas Caramelizadas

Por Carla Rocha

Estas Amêndoas Caramelizadas são as preferidas da Joana. Aliás acho que não come amêndoas de mais nenhuma forma. Sempre que vamos à feira e está lá a banca das Amêndoas, pede logo um cartucho. É vê-la a fazer rendê-las. Eu confesso que também gosto muito, mas deixo-as para ela, coisas de mãe. Agora na Páscoa, são uma excelente alternativa às amêndoas de compra, não são nada difíceis de fazer, embora requeiram alguma paciência e cuidado para não deixar passar do ponto. Atrevo-me a dizer, que se experimentar, não vai comprar mais amêndoas fora!

Molho de Queijo

Por Carla Rocha

Esta é daquelas receitas que guardo para os dias em que nos apetece algo mais pecaminoso, um delicioso Molho de Queijo para acompanhar batatas fritas ou nachos. Desta vez, comemos género Steal n Sheak, com batatas fritas e bacon crocante. A receita é fácil e muito rápida de fazer, pelo que tendo os ingredientes e casa, rapidamente consegue servir este molho de queijo.

Arroz de Peixe e Amêijoas

Por Carla Rocha

Este Arroz de Peixe e Amêijoas é daquelas receitas que me recordam tempos passados em família, dias passados em casa dos meus avós. O meu avô Zé era pescador, andava à pesca numa traineira, sendo que a posição dele era na ‘chata’. Trazia para casa o melhor peixe que o mar ‘lhe dava’. Fomos uns privilegiados nesse sentido. Muitas foram as receitas que se faziam, umas mais simples que outras, mas todas saborosas e aproveitando-se tudo o que delas se podia tirar, como é o caso de um simples peixe cozido. Sempre que havia Peixe Cozido, era feito Arroz do Caldo, que confesso, era a parte que sempre gostei mais… comer o arroz do caldo do peixe, bem regado com limão. Claro que para os netos, a minha avó Juliana tirava as ‘polpinhas’ do peixe e comíamos junto ao arroz. Mimos impagáveis! Este Arroz de Peixe e Amêijoas é uma receita com um upgrade ao que se fazia na altura. A receita em que me baseei, é da chefe Noélia do Restaurante Noélia e Jerónimo. Alterei pouca coisa, apenas o que me fez mais sentido. Pode-se dizer que é feita em duas partes: a primeira na feitura de um caldo rico que depois é usado na segunda parte da receita, onde se coze o arroz. Espero que goste da sugestão!

Tarte Pastel de Nata

Por Carla Rocha

Creio que o Pastel de Natal é o bolo que nos simboliza, a nós portugueses e, no meu caso, o meu bolo de pastelaria preferido. Andava com saudades de o comer, pelo que saiu esta Tarte Pastel de Nata, que não sendo em doses individuais, deu para matar a saudade! Estes novos tempos que vivemos têm disto, de nos fazer recordar e dar valor a pequenas coisas do dia a dia, neste caso, algo tão simples como ir a uma pastelaria comer um Pastel de Nata. A receita que aqui lhe apresento foi feita em Tarte, mas pode, caso o queira, reproduzi-la em doses individuais de Pastel de Nata. Conte com alguns tempos de espera quando decidir fazer esta tarte, pois o creme deve ser feito com a antecedência necessária para que arrefeça antes de ser colocado sobre a massa. Esta Tarte Pastel de Nata é uma presença obrigatória em festas e reuniões familiares. Se não experimentou, agora tem mesmo que experimentar fazê-la!