Método de Preparação: Fogão

Receitas cujo método de confecção é no fogão

Arepas de Queijo

Por Carla Rocha

As Arepas são típicas da Venezuela, que foi onde o Francisco cresceu dos 3 aos 18 anos. Tal como outros pratos que faço, as Arepas tornaram-se presentes na nossa alimentação. Estas são Arepas de Queijo, que levam queijo na massa e no recheio. São bem fáceis e rápidas de fazer, uma vez que estes ‘pãezinhos’ não precisam de levedar. A única dificuldade poderá passar por encontrar a farinha de milho cozido, sendo que nos hipermercados como o Jumbo ou Continente, costumam ter sempre disponível da marca original a PAN. Na Mercadona, também têm de marca própria. Sendo as Arepas exclusivamente de milho, são sem glúten, sendo uma boa opção para doentes celíacos. Estas que aqui vos apresento, conforme já escrevi acima, têm queijo na massa, são bem saborosas. Pode usar qualquer tipo de queijo que goste, tendo em atenção, que quanto mais forte for o queijo, mais forte será o sabor. Um ponto a ter em consideração é usar um queijo que derreta bem como mozarela, flamengo, edam, emmenthal, etc. pois só assim iremos ter umas Arepas de Queijo, daquelas que criam fios de queijo derretido. Termino dizendo que aqui em casa se comem arepas em qualquer refeição, seja como entrada, como prato principal, acompanhadas por exemplo de uma salada, ou até como lanche. O que importa é haver e comer, diz o Francisco. Os vídeo de como as fiz, podem vê-lo no destaque próprio que criei no nosso instagram @cozinhaalacarte.Espero que gostem da sugestão!

Paella

Por Carla Rocha

Um prato típico da vizinha Espanha, que eu andava há algum tempo com vontade de comer, a Paella… saiu esta no fim de semana. Uma Paella com Frango, Lulas e Camarão, uma refeição completa que fez as nossas delícias. Embora dê algum trabalho e tenha alguma técnica, não é nada difícil de fazer, basta seguir as indicações que lhe deixei e vai ver que vai ter uma deliciosa Paella à sua mesa. Embora nesta que aqui apresento não tenha colocado (esqueci comprar), costumo colocar pimento vermelho, que frito juntamente com o frango logo no inicio e reservo, para decorar no final, juntamente com os camarões. A minha frigideira de Paella é da Ikea e tem 38 cm.

Omelete na Tortilha

Por Carla Rocha

Esta Omelete na Tortilha saiu num almoço rápido de dia de semana. A Joana não estava em casa, pelo que pude dar asas à minha criatividade e ir ao sabor do que me apetecia. Cogumelos e espinafres são uma das minhas combinações preferidas, pelo que saiu uma omelete de cogumelos e espinafres que foi depois enrolada em tortilhas, dando-lhe um aspeto de torta. O vídeo de como a fiz, podem vê-lo no instagram.

Lemon Curd

Por Carla Rocha

Esta é uma receita prática e simples de fazer Lemon Curd. O resultado final é um frasco pequeno de Curd, contudo, pode facilmente fazer mais quantidade, adaptando os ingredientes. O processo, serve também de base para outros curds, tais como o curd de maracujá. Eu pessoalmente, gosto de doces com limão e uso o Lemon Curd para vários fins, tais como, comer com panquecas, rechear bolos, comer em iogurtes. Depois de feito, o Curd deve ser guardado em frascos esterilizados e armazenados no frigorifico durante 1 mês. No nosso instagram, encontra um destaque com os vídeos do processo de como fizemos este Lemon Curd.

Pizza Esbelta

Por Carla Rocha

Esta é uma deliciosa pizza fria, com uma base de espelta integral que foi cozida em cima do fogão. Esta Pizza Espelta, surgiu num almoço em que fiquei responsável pelas entradas, onde me lembrei de servir uma salada de forma diferente. Ora em vez de a servir numa taça, porque não fazer umas bases e comermos como se fosse uma pizza? foi isso mesmo que aconteceu e todos adoraram. O nome, saiu de uma brincadeira entre todos, fazendo alusão ao facto de a base ser de espelta e o facto de ser uma pizza saudável. Tal como eu fiz, pode fazer as bases com antecedência e depois montar as pizzas mais tarde, sendo que pode usar os ingredientes e fazer as combinações que mais gostar! Nos tempos de preparação não coloquei o tempo de repouso da massa para levedar, que anda à volta de 1 hora.

Gnocchi com Molho de Tomate e Beringela (assados) e Cogumelos Portobello

Por Carla Rocha

Esta receita saiu na tentativa de reproduzir um gnocchi ou nhoque, como o quiserem chamar, que comi há uns dias atrás num restaurante. Lembrei-me de o fazer, para responder ao repto lançado pela Teresa do Healthy Bites, em que começou um movimento no Instagram em defesa do Tomate Coração de Boi, que tantas vezes não é bem identificado. Fiz o molho uns dias antes e guardei para este Gnocchi com Molho de Tomate e Beringela (assados) e Cogumelos Portobello. Posso dizer que ficou delicioso. É uma refeição que posso dizer que é rápida, pois tendo o molho já pronto, em menos de 30 minutos, conseguimos colocá-la na mesa. Os cogumelos portobello, como sempre, dão um sabor marcante ao prato. Na descrição da receita, vou deixar as instruções para o molho, contudo, podem usar qualquer molho de tomate da vossa eleição, tenham é atenção de usar um molho equilibrado, em que o ácido do tomate, não seja muito marcante, para não alterar os sabor final. Se quiserem ver como fiz este gnocchi, visitem no meu perfil de instagram, onde podem encontrar um vídeo com o passo a passo, vejam-no aqui!

Tapa de Figos com Presunto e Queijo Creme

Por Carla Rocha

Há combinações que resultam e esta Tapa de Figos com Presunto e Queijo Creme é uma vencedora. Muito fácil e rápida de preparar, serve tanto para uma refeição leve, como de uma excelente entrada. Para atingir a excelência há pequenos detalhes que fazem a diferença. O pão deve ser regado com um fio de azeite e torrado nos dois lados, sobre um grelhador de fogão e depois arrefecido. Assim terá um pão crocante, que depois irá barrar com o seu queijo de eleição. Pode ser de cabra, camembert, brie, ou como eu usei, um queijo creme. O presunto e dos figos, devem ser de boa qualidade, sendo que os figos devem estar firmes. Para terminar, o creme de vinagre balsâmico dá-lhe aquele travo agridoce que deixa qualquer a ansiar pela próxima sentada. É isto mesmo, foi como eu fiquei!

Doce de Figo e Vinho do Porto

Por Carla Rocha

Este Doce de Figo e Vinho do Porto, é um excelente acompanhamento para queijos e salgados, contudo é igualmente bom para comer simples em tostas ou iogurtes. Por os figos, por si só, serem uma fruta tendencialmente doce, reduzi a quantidade de açúcar em relação ao seu peso e, até porque o açúcar que usei, foi açúcar amarelo, também ele com um travo mais forte. Como vinho do Porto, usei um vinho também ele doce, um Croft Platinum Reserva, um dos meus preferidos e, que pela sua cor e travo, dá sempre um sabor marcante. Em relação ao tipo de figos, este Doce de Figo e Vinho do Porto, foi feito com dois tipos, um verde, os pingo mel e outro escuros, também eles da região do Douro, mas que confesso que não sei o nome. Os vídeos do processo estão no nosso instagram @cozinhaalacarte.

Massa com Carne e Lentilhas

Por Carla Rocha

Poderia dizer que esta é uma das minhas comidas de conforto, uma bela Massa de Carne e Lentilhas, bem deliciosa! Embora leve algum tempo, pois a carne tem que cozer bem, cozo-a na pressão para ser mais rápido, vale bem a pena a espera. Gosto de a deixar bem ‘águadinha’, como molho suficiente para a comer à colher. Esta Massa de Carne e Lentilhas, enche-me as medidas todas!

Biqueirões Albardados

Por Carla Rocha

Sabem aqueles pratos que sempre existiram em casa dos pais e que na altura não gostávamos, mas que quando fomos viver sozinhos e para longe deixámos de ter acesso, pelo que se tornaram alvo de desejo absurdo? pois bem, estes Biqueirões Albardados, estão na minha lista de pratos de desejo! É um prato típico de Olhão e a maior dificuldade está no arranjar do peixe e foi isto que aprendi desta vez. A minha mãe esteve a ensinar-me a tirar a espinha ao dito para que a partir de agora, os possa preparar em casa. Estes Biqueirões Albardados, são uns simples filetes, temperados com sal, limão, alho e pimenta branca que depois de estarem pelo menos 24 horas a marinar, são passados pela farinha e pelo ovo. Aqui em casa, não o fazemos, mas pode-se juntar ao ovo, cebola e salsa picada. Estes Biqueirões Albardados tanto servem como componente de um prato principal, acompanhado por um arroz malandro de tomate, como de entrada ou petisco. Aqui em casa gostamos de os comer frios, no pão!