Método de Preparação: Vapor

Pudim de Abóbora

Por Carla Rocha

O desafio que a @cacauterramiaia me lançou, foi o mote perfeito para este delicioso Pudim de Abóbora, um pudim bem aromático, que é a sobremesa perfeita para uma mesa de festa!
Deixe-me contar-lhe como surgiu este desafio: Veio na sequência do ‘Desafio Natal com Butternut’ lançado pela @lovebutternutpt, que nos desafiou a preparar diferentes tipos de pratos fazendo uso da deliciosa Abóbora Butternut.
A @framboesa_com_chocolate tratou da entrada (Rolinhos de abóbora butternut, queijo brie e nozes), a @healthybitespt fez a sopa (Sopa assada de Butternut e Pimento Vermelho)e a @cacauterramia presenteou-nos ontem com uma deliciosa Tarte Filo de Abóbora Butternut & Feta Cheese, ótima para uma refeição leve. A mim, cabe-me hoje encerrar este desafio com a sobremesa!
Creio que terminei muito bem este desafio, pois este Pudim de Abóbora é todo ele delicioso.
Pelas receitas que aqui mencionei, pode ver que ao contrário do que a maioria pensa, a abóbora é um ingrediente bem versátil e saboroso. Posso dizer que da minha cozinha tem saído muita abóbora confecionada de diferentes formas. Assada é a que mais faço. Comemo-la simples, em saladas e desta vez assei-a para fazer este pudim.
Já sabe que vou querer ver o seu pudim, pois tenho a certeza que não vai conseguir resistir a tamanha delícia. Combinado?
Um beijinho, Carla ❤️.

Bao

Por Carla Rocha

Já se sabe que gosto de viajar em casa por sabores de outras culturas. Desta vez fizemos uma mistura entre Taiwan e EUA. Bao recheado com Pulled Pork. A primeira vez que os comi foi num restaurante asiático aqui no Porto, o Boa Bao, fiquei logo fã! O Bao é um pãozinho cozido a vapor, conhecido pelo seu aspeto branco e suave. Pode ser usado para rechear com diferentes recheios, sendo o mais conhecido, o recheado com barriga de porco. Neste que aqui lhe apresento, usei Pulled Pork que fiz na slow cooker durante 8 horas, cuja receita já está aqui site e tem sido um sucesso. A maior dificuldade para fazer os Bao’s, poderá surgir na fase de os cozer a vapor, sendo a forma tradicional, cozinhá-los numa vaporeira de Bambu. Como aqui em casa não existe, usei a Varoma da Bimby para o efeito, tendo obtido um excelente resultado final. Podia inclusive ter feito na Bimby a massa, mas por opção minha, as massas de pão, faço-as sempre na batedeira, contudo deixo-lhe também a versão da massa feita na bimby. Agora com tudo disponível, só tem mesmo que os fazer e deliciar-se, tendo em atenção os tempos de pausa para levedação!