Cozinha: Portuguesa

Bolo de Especiarias

Por Carla Rocha

Este Bolo de Especiarias é o bolo ideal para acompanhar um chá a meio da tarde. É um bolo não muito doce, com um aroma divinal, certo mesmo que com um sabor de outono já a puxar para o Natal. Como em todos os bolos que faço segui alguns passos que acho essenciais: – Aquecer bem o forno, ligo-o sempre antes de começar a preparar a massa, com calor em baixo e em cima, salvo se a receita disser o contrário; – Preparar a forma igualmente antes; – Cozer o bolo na prateleira mais baixa do forno; – Esperar 15 minutos depois de tirar o bolo do forno, para o desenformar. Para mim, é uma rotina que não abdico quando faço bolos. Quanto ao Bolo de Especiarias, garanto-lhe que vale a pena experimentar, é o bolo ideal para ter em casa no fim de semana!

Cachorrinhos tipo ‘Gazela’

Por Carla Rocha

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Sandwich, dia em que partilho consigo a minha versão dos famosos Cachorrinhos da Cervejaria Gazela, uns cachorrinhos feitos com salsicha fresca e bem apetitosos. Desde que vim viver para o norte do país, que descobri todo um mundo novo deste tipo de comida, as sandes. Não sei se tem essa percepção, mas a cidade do Porto é ‘rica’ em sugestões neste tipo de comida, sendo a mais conhecida, a famosa Francesinha.
Eu diria até, que se podia fazer um roteiro gastronómico pelas sandes do Porto. De degustações obrigatória são:
– Francesinhas, há-as em todo o lado, mas nem todas são boas, posso dizer que já enfiei vários barretes.
– Bifanas, sem dúvida que as originais da Conga continuam a ser as melhores.
– Cachorrinhos, reprodução da receita que hoje lhe trago, a serem degustados na Cervejaria Gazela, na zona da Batalha.
– Sandes de Pernil da Casa Guedes, uma tentadora sandes de porco assado com um delicioso molho.
– Sandes de Presunto, na Badalhoca claro, com os seus presuntos pendurados.
– Sandes de Leitão, esta talvez a mais recente, mas vale a pena provar esta sandes no Forno do Leitão do Zé. Eu pessoalmente gosto de a comer no Mercado do Bom sucesso.
Como pode ver, sugestões não faltam, só tem de vir com estômago e tempo suficiente para conseguir provar todas 😉.

Coelho com Chouriço e Cogumelos

Por Carla Rocha

Este Coelho com Chouriço e Cogumelos é a forma preferida de comer carne de coelho cá em casa. É muitas vezes feito sem qualquer preparação prévia, pois tempero-o diretamente no tacho e nunca desilude. A carne de coelho, é uma carne saudável e é um dos segredos da Dieta Mediterrânea, segundo o site https://carnedecoelhoosegredo.eu/. Visite-o e fique a saber mais sobre a campanha #EUAgriPromo, uma campanha promovida pela ASPOC – Associação Portuguesa de Cunicultura em parceria com a União Europeia. No site vai poder verificar os cortes de carne disponíveis e ter acesso a deliciosas receitas! Nesta receita de Coelho com Chouriço e Cogumelos estou a usar o corte de Meio Coelho Cortado, o que eu pessoalmente, mais gosto. O resultado é uma carne bem confecionada, com um molho bem apetitoso e rico que é ótimo para acompanhar com arroz branco ou batatinhas fritas. Experimente a receita, pois vai adorar!

Broinhas de Frutos Secos

Por Carla Rocha

Juntei-me à Teresa do HealtyBites para, em conjunto, trazermos até si o Pão por Deus, também conhecida em algumas zonas, por Dia do Bolinho. Uma antiga tradição portuguesa de algumas zonas do nosso país, cheia de significado. Conhece? Uma tradição onde as crianças, à semelhança do que acontece no Halloween, batiam de porta em porta, pedindo alimento. No Pão por Deus, iam munidas do seu saquinho de pano e apregoavam cânticos, enquanto batiam a cada porta. A nossa sugestão e, porque em muitas zonas não se usa esta tradição, é que faça bolinhos, como estas broinhas, para distribuir pelas crianças, em vez das guloseimas industrializadas. A receita destas broinhas, também conhecidas por Merendeiras, é da zona de Leiria e descobria aqui na rede há uns anos.
No tempo de preparação, não contabilizámos o tempo do pré fermento, pois vai depender da temperatura ambiente.

Manteigas Gourmet

Por Carla Rocha

Não sei como é aí em casa, mas aqui não resistimos a manteigas com sabor, por isso fiz estas Manteigas Gourmet. Não lhe trago hoje uma receita, mas sim três receitas de Manteiga Gourmet, que pode replicar, ou usar como inspiração para criações suas. São deliciosas barradas no pão, mas são igualmente deliciosas para enriquecer pratos de massa, por exemplo. Das três não consigo decidir qual gosto mais: Alho Assado e Tomilho, Tomate Seco e Manjericão ou Chouriço de Porco Preto. É caso para dizer, todas! Espero que goste da sugestão, que é bem fácil de executar e que vai surpreender todos! Assista ao vídeo para ver com as fiz.

Marmelada com Nozes e Vinho do Porto

Por Carla Rocha

Depois da Marmelada Tradicional, trago-lhe a recita da Marmelada com Nozes e Vinho do Porto. Uma marmelada diferente, mas igualmente saborosa e com textura, conferida pelas nozes. Tem sido companhia assídua de queijos, pois o casamento entre os dois é perfeito. A receita é um tudo muito semelhante à da Marmelada Tradicional, diferindo na forma de cozer os marmelos, onde entra, juntamente com a água, o Vinho do Porto. As nozes entram na receita no fim, quando a marmelada estiver quase no ponto! Não estranhe a quantia de Vinho do Porto, pois só assim é que se consegue que a sua presença seja notada. Pode ver no vídeo tudo ao pormenor.

Tomates Cherry Confitados

Por Carla Rocha

Se nunca provou Tomates Cherry Confitados, tem mesmo de experimentar esta receita! O resultado final é tão saboroso que comido apenas esmagado numa fatia de pão, já nos deixa reconfortados. Pode usá-los na confecção de diversas receitas tais como massas, saladas, omeletes, etc. Se não tiver slow cooker, faça num tacho no fogão, ou no forno a uma temperatura baixa, não deixe é de fazer. Assista ao vídeo .

Frango Rústico

Por Carla Rocha

Este Frango Rústico é, sem dúvida, das receitas de frango, mais apetitosas que fiz nos últimos tempos. Uma mistura de sabores, que pode achar estranhos. Da canela, ao tomate seco em azeite, passando pelo alecrim, todos juntos, dão a este Frango Rústico, um sabor extraordinário. No dia comemos e deliciámo-nos com o frango, acompanhado por arroz seco branco, tendo sobrado uma dose, que no dia seguinte, transformei em Esparguete com Frango, pois limpei a carne de todos os ossos, juntei água e depois o esparguete a cozer no fantástico molho. Fiz apenas uns ajustes ao nível de sal e juntei-lhe cominhos. Uma refeição diferente, igualmente deliciosa, onde nada se desperdiçou 😊. Assista ao vídeo no final da receita.

Geleia de Marmelo

Por Carla Rocha

O que lhe posso dizer sobre esta Geleia de Marmela? Que é maravilhosa 😊. Gosto de a deixar um pouco mais ‘presa’, para com ela poder fazer diferentes coisas. Seja para comer assim simples barrada em pão ou numas bolachinhas, seja para rechear uma torta ou um bolo, esta geleia sabe sempre bem. Já recebi diversas mensagens de pessoas que não conseguem fazer geleia. A primeira coisa que pergunto é a quantia de açúcar que usam, em relação à água de marmelo, pois aqui não há como escapar, se quiser ter uma boa geleia tem de usar 1kg de açúcar, para 1L de água da cozedura, pois de outra forma, não vai ter uma boa geleia. Outro ponto importante para fazer geleia, é o coar da água. Se queremos uma geleia completamente translucida, de cor vibrante, temos de a coar com pano de algodão. Eu uso um coador com pano que comprei numa loja chinesa e que me facilita muito esta tarefa. Por fim, o ponto de cozedura da geleia. Temos de a deixar ferver e reduzir, para que ganhe ponto. Se verificar no vídeo, vê que o volume inicial é bem maior que o que estava na panela quando desliguei o lume. Leva algum tempo, mas vale bem a pena. Eu faço sempre o teste de tirar uma porção de geleia para um prato e ver como escorre e, olhe que faço este teste várias vezes até chegar ao ponto que quero! Agora que já lhe deixei as dicas todas para que possa fazer a sua geleia, não tem como falhar a fazer a sua Geleia de Marmelo.

Perna de Perú na Slow Cooker

Por Carla Rocha

Quando preparei esta Perna de Peru na Slow Cooker, não estava à espera de um resultado tão delicioso. Usei uma perna de peru que comprei já com etiqueta rosa, ou seja, com preço reduzido, e fi-la na necessidade não deixar ultrapassar prazo de validade, pois não a congelei quando cheguei a casa com ela, ficando esquecida no frigorifico. Quando me lembrei dela, já era tarde e ainda vim cá abaixo colocá-lo na slow cooker para ser o nosso almoço de dia seguinte… e que bom almoço tivemos! Ficou mesmo apetitosa, uma carne tenra e suculenta e um molho delicioso. Não sei se já tem slow cooker, se não tem, não deixe de fazer esta receita, faça-a no forno, pois asseguro-lhe que vale bem a pena!