Tag: #canela

Receitas onde o Canela entra na sua confeção

Folar de Olhão

Por Carla Rocha

O Folar de Olhão é o folar que me acompanha desde sempre! Cresci a ver a minha avó Juliana a fazer folares na Páscoa, pensando eu que era tão fácil, pois ela fazia tudo parecer tão fácil, amassava à mão folares para todos nós. Não querendo mentir, a minha avó fazia mais de 10 folares de cada vez, todos de tamanhos diferentes, cozidos em tachos de alumínio. Na hora de os cozer, lá íamos nós com os tachos na mala do carro, para os cozer nos fornos das fábricas do pão de Olhão. Uns anos íamos à Aliança, noutros aos ‘Mau-maus’. Dependia de quem ia ter os fornos ligados e disponibilidade para nos receber. Só depois de ‘crescida’ comecei a dar valor a tudo isto, ao que marca a minha história de vida. Coisas que eram tão tidas como minhas, que na altura não lhes dava a devida importância. Ontem fiz três folares. Amassei-os na batedeira, cozi-os no forno aqui de casa, tudo muito diferente, mas ajustado à realidade dos nossos dias e que espero que daqui a uns anos, a minha filha dê o devido valor. O Folar de Olhão, para quem não conhece, é um folar doce, feito em camadas, com uma mistura ainda mais doce pelo meio. Em 2019 eleito como uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal. Existem diversas receitas, a que aqui hoje vos trago, é a receita como a minha avó o fazia. Quando à forma, continuo a fazer a forma tradicional, embora nos últimos anos, tenha visto que começaram a fazer o folar enrolado, são opções que respeito e até gosto, tanto que fiz um deles assim. Creio que na cozinha há sempre lugar para todos, sempre com respeito mútuo.

Dedos de Bruxa e Olhos Raiados

Por Carla Rocha

Agora que o Halloween se aproxima, é hora de fazer biscoitos feios e assustadores, cheios de sabor. Deixamos-vos duas sugestões, Dedos de Bruxas e Olhos Raiados. Dois biscoitos feitos com os mesmos ingredientes, que podem fazer com a ajuda dos mais novos! Foi uma das receitas que fizemos no episódio do Bites à la Carte dedicado ao Halloween.

Doce de Figo e Vinho do Porto

Por Carla Rocha

Este Doce de Figo e Vinho do Porto, é um excelente acompanhamento para queijos e salgados, contudo é igualmente bom para comer simples em tostas ou iogurtes. Por os figos, por si só, serem uma fruta tendencialmente doce, reduzi a quantidade de açúcar em relação ao seu peso e, até porque o açúcar que usei, foi açúcar amarelo, também ele com um travo mais forte. Como vinho do Porto, usei um vinho também ele doce, um Croft Platinum Reserva, um dos meus preferidos e, que pela sua cor e travo, dá sempre um sabor marcante. Em relação ao tipo de figos, este Doce de Figo e Vinho do Porto, foi feito com dois tipos, um verde, os pingo mel e outro escuros, também eles da região do Douro, mas que confesso que não sei o nome. Os vídeos do processo estão no nosso instagram @cozinhaalacarte.

Mini Cinnamon Rolls

Por Carla Rocha

Digam-me lá se estes Mini Cinnamon Rolls não são uns bolinhos fofos? Aliás, sempre se disse que tudo o que é pequenino, é fofinho! Estes são uns bolinhos de canela, com um sabor, não muito doce e parecido ao sabpr dos bolos de canela da Ikea. A receita é simples de fazer, sendo que o que poderá demorar mais tempo, é a montagem dos bolos. Sendo uma massa que leva fermento de padeiro, tem sempre tendência para crescer, contudo e como não queremos os nossos bolinhos muito grandes, o ideal, é sempre que se vai estender uma tira de massa para formar bolinhos, amassar um pouco para baixar o grau de levedação. Depois de moldados os bolinhos vão a cozer ao forno e pode acontecer, a forma de caracol abrir. Para evitar, deve cozê-los em etapas, isto é, sempre que acabar de estender e moldar uma porção de bolos, coza-os logo, pois no tempo em que estão à espera, os bolos levedam e crescem o que faz com que abram mais facilmente no forno. Dicas dadas, agora é por as mãos na massa e entrar no mundo dos ‘mini’, onde já por aí andam as Mini Panquecas!

Pickles Agridoce

Por Carla Rocha

Não comece a ler esta receita, pensando que não gosta de pickles, não, mantenha a mente aberta e pense que tem que experimentar, pois são tão fáceis, que é imperdível não os fazer. Se não gostar, o que não acredito, fica com um mimo para oferecer a alguém! A receita não é minha, é da Nini do MyPaleoExperience, que tem sempre receitas maravilhosas, Quando a Nini partilhou estes pickles, fiquei logo com eles nos olhos (a fotografia está linda). Agora depois de ter feito e comido, passaram a ser também um bocadinho meus, pois já não os largo 😊. Apenas fiz uma alteração à receita original, que foi no tipo de mostarda, usei L’Ancienne (com grãos de mostarda), que era a que tinha em casa. Pode usar a que tiver. Vá agora vamos lá à receita para que possa experimentar!

Folar Algarvio de Bater

Por Carla Rocha

Este folar leva-me de volta à minha infância e ao Montenegro (Faro), onde vivi até aos 8 anos. Sempre foi o folar preferido do meu pai. Embora em casa o que entrasse mais fosse o folar de Olhão que a minha avó Juliana fazia como ninguém, tinha que haver sempre um folar destes para o meu pai e com ovo cozido dentro, senão nem era folar 😊. Da família, pelo menos que eu me recordo, quem o fazia era a tia Alzira. É um folar um pouco diferente, pois não leveda e é feito na batedeira ao invés de ser amassado. Tem sabor forte a especiarias, erva doce e canela que eu tanto adoro. Tenham apenas atenção ao encher a forma, não passem mesmo dos 2/3, senão acontece-vos o que me aconteceu a mim e que podem ver no vídeo. Eu aviso, mas depois não cumpro! O que interessa é que este folar está divinal e vai estar na nossa mesa de Páscoa.

Bolachas de Natal (sem gengibre)

Por Carla Rocha

Esta foi uma das duas receitas escolhidas para fazer as bolachas de Natal para o desafio da BIT e que fizeram parte do Kit entregue a cada um dos seus colaboradores no Jantar de Natal 2019. No tempo de preparação não está contemplado o tempo de repouso no frio, que não deve ser inferior a 1 hora.

Broas dos Santos

Por Carla Rocha

De há alguns anos a esta parte que faço Broas dos Santos, nos últimos dias de outubro para partilhar com colegas e amigos, para cumprir a tradição do Pão por Deus. Confesso que foi uma tradição que abracei e que faço gosto em não falhar. Este ano não foi diferente, pelo que estive a fazer as minhas broas, para amanhã dia 31 de outubro, tanto eu como o Francisco, partilharmos com os nossos colegas. A receita que fiz este ano é da Luísa Alexandra e eu adaptei-a ao nosso gosto! O resultado final são umas broinhas bem saborosas, com frutos secos.

Bolinhos de Canela

Por Carla Rocha

Estes são, dos bolinhos secos, os preferidos da Joana. A primeira vez que vi a receita, foi no Fórum Bimby, há muitos anos atrás. Para quem tem Bimby ou outro robot similar, é daqueles bolinhos que se fazem num zás-trás. Para mim a parte mais ‘chata’, é o de passar cada bolinho na canela, mas também já arranjei uma técnica que agiliza o processo. O uso da gordura, entre a manteiga ou margarina, tem impacto no resultado final, pois feitos com manteiga, ficam com um sabor mais intenso. Vamos à receita?