Método de Preparação: Frio

Receitas cujo método de confecção é levar ao frio

Poke de Salmão

Por Carla Rocha

Depois de mais de um mês de quarentena, as saudades de sabores que gosto e que não costumo fazer em casa, como Poke ou Sushi, começam a apertar. Foi o desejo deste sabor mais ácido e de comer peixe crú, que me levou a preparar este Poke em casa e, bendita a hora que o fiz, pois vou voltar a fazer muito mais vezes. A receita foi baseada no delicioso Poke que a Teresa do Healthy Bites tem no site e que me fez comer com os olhos antes de poder degustar algo que se assemelhe. Para este Poke, comprei lombos de salmão congelados e deixei descongelar, de véspera, no frigorifico. Como base, usei arroz negro, mas fica igualmente bem com quinoa cozida. Aqui o importante é arriscarmos e fazermos! Para fazer o Arroz Negro, segui as instruções da embalagem, tendo usado 6x o volume de água em relação ao volume de arroz. A receita aqui apresentada é para 1 taça de Poke individual.

Ceviche de Salmão

Por Carla Rocha

O ceviche é um prato que não agrada a todos por diversos aspetos, sendo os dois mais comuns, poder ser feito com peixe cru, nesta receita salmão e, também pelo seu forte sabor ácido. Aqui em casa eu sou a única que gosto e fi-lo pela primeira vez para mim. Aproveitei um lombo de salmão descongelado que me sobrou de um Poke. Este é um detalhe importante, embora o peixe seja ‘cozinhado’ com o ácido, quando feito em casa, o ceviche deve ser feito com peixe descongelado e não fresco, é mais seguro. Ao congelar, o peixe está sujeito a temperaturas baixas que matam qualquer organismo nocivo. O que fiz, foi descongelar completamente o peixe no frigorífico, dentro da embalagem de vácuo que está acondicionado. Para o ceviche pode usar vários tipos de peixe, sendo os mais comuns e usuais de se fazer em casa, o salmão ou o atum.

Moletinhos de S. Vicente (Arrufadinhas)

Por Carla Rocha

Quando vi esta receita no facebook da ‘7 Gramas de Ternura’, decidi imediatamente que tinha que a fazer! Não sei se foi o fantástico aspeto, mas comi com os olhos estes Moletinhos de S. Vicente, muito parecidos, senão quase iguais a arrufadinhas. Não são nada dificéis de fazer, apenas consomem tempo, pois têm diferentes fases de levedação. O indicado é começar a fazer a massa na véspera do dia em que as quiser consumir. Nos tempos totais que coloquei, não estão referenciados os tempos de pausa para levedação, esses ficam mencionados na descrição da receita.

Wraps de Salmão Fumado

Por Carla Rocha

Confesso que me tornei fã de salmão fumado. Creio que é uma boa opção para saladas e para este tipo de wraps ou em sandes, que podem servir de refeição ou de entrada. Hoje, estes Wraps serviram de jantar, juntamente com uma sopa. Um daqueles jantares em que não me apetece cozinhar, mas em que tenho que fazer algo, então que seja algo rápido e fácil! Quatro ingredientes ‘et voilá’ jantar feito 😊. Experimentem que vão gostar!

Pão de Mistura (70% Trigo, 30% Centeio)

Por Carla Rocha

Mais um pão de mistura, desta vez, aumentámos a percentagem de centeio na massa, sendo que quanto maior é a percentagem de centeio, maior a dificuldade de amassar. Este pão, foi cozido diretamente sobre uma pedra de pizza, na parte central do forno. O que noto é que o pão cozido fora da panela, não cresce tanto!

Pavlova II

Por Carla Rocha

A pavlova tem vindo a subir posições na lista das minhas sobremesas preferidas. Confesso que quando comia fora, nunca foi algo que me despertou interesse, pois sempre que as provava, achava-as muito doces. Ao fazer em casa, tem-me permitido ajustar os sabores a gosto e tento sempre colocar sabores um pouco mais ácidos ou frescos para cortar o doce do merengue. Tem sido uma descoberta de combinações, que me têm conquistado. Esta em particular, fi-la no jantar de passagem de ano.

Bolachas de Natal (sem gengibre)

Por Carla Rocha

Esta foi uma das duas receitas escolhidas para fazer as bolachas de Natal para o desafio da BIT e que fizeram parte do Kit entregue a cada um dos seus colaboradores no Jantar de Natal 2019. No tempo de preparação não está contemplado o tempo de repouso no frio, que não deve ser inferior a 1 hora.

Bolachas de Natal (com gengibre)

Por Carla Rocha

Esta foi uma das duas receitas escolhidas para fazer as bolachas de Natal para o desafio da BIT e que fizeram parte do Kit entregue a cada um dos seus colaboradores no Jantar de Natal 2019. No tempo de preparação não está contemplado o tempo de repouso no frio, que não deve ser inferior a 3 horas.

Pão de Trigo Saloio

Por Carla Rocha

Este pão de trigo saloio, é um pão com fermento natural, em que todo o processo de amassar é em tudo semelhante aos outros cujas receitas já aqui estão, mas que ao nível do cozer, foi alvo de uma experiência. Foi o primeiro pão que cozi fora do tacho, em cima de uma pedra refratária. A temperatura foi demasiado elevada e a pedra ainda não estava suficientemente quente quando o coloquei em cima. Serviu de aviso para próximas cozeduras!

Pão de Trigo e Centeio

Por Carla Rocha

Todo o pão que seja feito com farinha de centeio, é um pão mais ‘pesado’ quando comparado com o pão de trigo, o que se traduz também, numa maior dificuldade na hora de amassar o pão, pois também a elasticidade da massa reduz. O pão que aqui apresentamos, sendo de mistura, seguimos a técnica normal de amassar que temos disponível em vídeo no nosso instagram.